UTI Neonatal

Implantada em 22 de novembro de 1999, a UTI Infantil Neonatal do HSJD veio suprir uma lacuna importante no atendimento dos bebês pacientes, criticamente doentes, da região Centro-Oeste de Minas Gerais. O esforço pela preservação da vida teve impacto imediato, com a redução do índice de mortalidade infantil no segmento neonatal precoce.

O serviço com o nome de Centro de Tratamento Intensivo Infantil/neonatal (CTI Infantil) foi ampliado em 21 de janeiro de 20047, passando de oito para dez leitos.  Dispensa atenção especial para os recém-nascidos, principalmente os prematuros de baixo peso, por intermédio de reconhecida equipe multidisciplinar com médicos intensivistas, neonatologistas, enfermeiros, técnicos e auxiliares, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e nutricionistas.
 

NOSSA HISTÓRIA DE FÉ

Contando nossa história, nem parece que ela iniciou há 16 anos atrás. Havia apenas a necessidade premente de beneficiar crianças, pequenas criaturas colocadas a proporcionar alegria e esperança aos homens, que aqui, em Divinópolis, era detentora de uma triste realidade: uma taxa de mortalidade infantil muito elevada para a tolerância de qualquer cidade deste porte. Graças a pessoas dedicadas e imbuídas pelo dever de beneficiar ao próximo, nasceu a luta para construir neste hospital, também abençoado pela divindade, o CTI pediátrico. Foram meses de empenho, juntamente com a população, que já depositava uma esperança de mudanças. Após sua inauguração, já notamos a certeza de que os sonhos não foram em vão. Como um gigante adormecido, vimos brotar pouco a pouco, o cooperativismo, a bondade, o profissionalismo, a perseverança, a humildade e, por fim, o bem maior, a saúde das crianças da cidade e da região, que por ventura necessitasse de nossos cuidados. A partir deste marco, deixaríamos de contar, ou contaríamos pouco com a necessidade do suporte da capital para tratarmos de nossos pacientes.  Novos profissionais vieram somar conhecimentos e braços fortes nesta luta, e  outros tantos foram capacitados para o trabalho incessante. A equipe se fortaleceu e com isso vimos, com satisfação, que valia a pena o esforço empreendido. Com o sucesso adquirido, notamos que a equipe necessitaria crescer, isso em pouco mais de dois anos. Agregamos outros profissionais a todo o aparato tecnológico necessário, embora ainda persistam deficiências em aparelhagem técnica e de alguns profissionais naquela época. Temos sede de bons resultados, pois os pacientes lutam contra o tempo. Hoje conseguimos uma taxa de mortalidade muito baixa. Para os 40% antes da criação do CTI, estamos com 9%, em queda vertiginosa e comemorativa. Nossos recém nascidos prematuros extremos já têm sobrevida com idade de 26 semanas e com peso de 580 gramas, embora saibamos do risco, ficamos muito orgulhosos com nossa capacidade para proporcionar felicidade, graças ao amparo celestial, para famílias esperançosas. Implantamos na unidade, há dois anos, o horário do PSIU, que significa silêncio absoluto, com horários pré-determinados, com resultados espetaculares, tanto no desenvolvimento, com diminuição da morbidade dos pacientes. São muitas as gratificações, e esperamos muito mais. Enfim, sentimo-nos especialmente honrados de poder trabalhar em um local tão acolhedor e mais ainda por saber que graças a Deus e nossa capacidade, proporcionamos o bem-estar para tanta gente. Nossa vitória deve ser compartilhada com a direção do hospital, que acredita em nosso potencial, à equipe do CTI infantil que está sempre pronta a lutar pelos pacientes deste setor e a toda a comunidade que confia em nosso trabalho.